Google+ Followers

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Funcionário público protocola ‘denúncia’ a Jesus Cristo

Cansado de assistir a casos de corrupção na política sul-mato-grossense o funcionário público José Luiz de Oliveira, o “Zé do Itahum”, resolveu apelar para Jesus Cristo. Zé que é Bacharel em Direito elaborou uma petição endereçada a Jesus Cristo e protocolou em vários órgãos governamentais como forma de protesto a falta de ação da justiça como ela afirma no documento. “Excelentíssimo Senhor Jesus Cristo pai eterno e poderoso dos seres humanos que existem nesta terra”. Foi desta forma que José Luiz, que foi vereador em Dourados na década de 1990, se dirigiu a Jesus fazendo o que ele considerou uma “denúncia contra os poderes que existem no Brasil”. O funcionário público começa a petição dizendo que “é com muita relutância que venho perante o Filho do Senhor afirmar que a política tornou-se a arte de se prostituir”. Segundo Zé do Itahum, “virou-se prostituição e iniciou-se no Poder Executivo passando para o Legislativo e chegou ao Judiciário”. José Luiz pede a Jesus Cristo que “decrete uma nova lei no mundo em exclusividade no Brasil para que os políticos que cometem crimes de corrupção sejam eliminados da política e confiscados seus bens e doados a entidades e que sejam obrigados a doarem seus órgãos”. O autor do pedido diz que “conforme a Bíblia Sagrada todos os cidadãos são filhos de Deus e deverão ser respeitados para que possa viver em paz com suas famílias”. José Luiz termina a sua petição solicitando que Jesus Cristo tome as providencias necessárias conforme está escrito na Bíblia. No documento assinado pelo funcionário público está um amplo relato dos casos de corrupção em Mato Grosso do Sul e no Brasil e todos os prejuízos causados aos cofres públicos e a população. Entre os órgãos públicos que José Luiz de Oliveira protocolou a petição para Jesus Cristo constam o Tribunal de Contas, a Câmara Municipal de Campo Grande, Secretaria de Governo de Mato Grosso do Sul, Correios e Tribunais Regional Eleitoral e de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Como Tonzão de Os Hawaianos virou crente

A sede da Igreja Assembleia de Deus do Últimos Dias, em São João de Meriti, recebeu um público diferente na tarde de ontem. Quatro meninas chorosas fizeram plantão na entrada até serem recebidas por Tonzão, líder dos Hawaianos, que, desde o último sábado, largou o grupo e saiu de casa para se converter ao rebanho do pastor Marcos Pereira. — Eu não quero mais fazer show. Se Deus permitir, e os outros integrantes (do grupo) quiserem, vou lá para dar satisfação ao público, mas de terno e gravata — conta ele, que está morando na igreja para fazer uma espécie de tratamento. Desde janeiro, Tonzão vem frequentando as reuniões da Assembleia. Mas uma série de acontecimentos nos dois últimos meses o levaram a se converter. — Sempre me emocionava nos cultos. Vi moleques criados comigo na Cidade de Deus que matavam, roubavam, cheiravam e se prostituíam transformados. Gente que se você dissesse um ‘ai’ era capaz de matar estava vestida de terno e gravata no sol, servindo quentinha aos cracudos (usuários de crack) — conta ele, que ficou ainda mais impressionado ao participar de uma cerimônia religiosa no Monte Vida Renovada: — É um lugar sagrado na mata, onde a gente sobe para receber o Espírito Santo. Eu, de joelhos no chão, no escuro, vi a sarça acesa, a árvore ficou toda iluminada quando o pessoal começou a orar. Na ocasião, Tonzão, ou melhor, Everton Luiz da Silva Chagas, de 24 anos, diz que teve a revelação de que deixaria o grupo: www.MidiaGospel.Com.br.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br . — Um amigo me disse isso, mas relutei. Ganhava muito dinheiro, tinha mulheres aos meus pés. Mas esse pensamento vinha todo dia. Convulsão, batida de carro e conversão Na última quinta-feira, Tonzão estava em São Paulo e, na saída de uma balada, começou a se sentir mal. Ele diz ter bebido vodca com energético. — Fui hospitalizado e nenhum médico descobria o que eu tinha. Sentia arrepios, tontura, convulsão. Só melhorei quando falei com o pastor — conta ele. Pelo rádio, o pastor Marcos rezou o cantor. — Eu vi o espírito da morte com uma foice na mão saindo do corpo dele — garante o líder religioso. Ao chegar ao Rio, no sábado, Tonzão resolveu ir à igreja. No caminho, pela Avenida Brasil, perdeu o controle de seu carro, um Vectra, e foi parar na mureta. — Era como se alguém estivesse dirigindo meu carro. Senti que Deus estava me chamando. Poderia ter acontecido algo pior — diz o cantor, que, desde ontem, já estava dando seu testemunho em presídios.

Músico diz que Deus está morto e chama crentes de "pragas do Egito"

Em um artigo escrito pelo músico e compositor Zeca Baleiro e publicado no site da Revista IstoÉ, ele diz não acreditar em Deus e que evangélicos são como “pragas do Egito”. “Não creio em Deus. Pelo menos não da mesma forma que um cristão ou um muçulmano. O “Deus” que me interessa é um Deus mais “filosófico” (ou mesmo “teológico”) que um Deus santíssimo. Aí está a grande questão. A filosofia é, grosso modo, a possibilidade de relativizar as coisas, e para as religiões não há relativização possível. Ou é céu ou inferno, ou pecado ou virtude, ou Deus ou diabo, bem ou mal”. Baleiro diz em seu artigo que os evangélicos têm crescido no Brasil atualmente assim como aconteceu com a popularização do islamismo nos anos 60 e 70, e agora estão dispostos a carregar cada vez mais fiéis para suas religiões e “invadindo a internet como pragas do Egito” para divulgar seus” pensamentos morais totalitários” com comentários muitas vezes ‘infelizes’ nos blogs e sites de notícias. www.MidiaGospel.Com.br.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br . O cantor também criticou católicos, apesar de dizer que tem apreço pelos seus ritos e curiosidades por vidas de santos. Ele diz que o Papa Bento XVI não é carismático e que os católicos estão tentando trazer de volta seus fiéis através da Renovação Carismática e pela “espetacularização da fé através da missa-show e do sermão-palestra motivacional”. “Com esses questionamentos acerca da fé, me indago: estarei eu sendo um fundamentalista também?”, se questiona Baleiro, para quem a melhor definição para o Deus dos cristãos e muçulmanos é a que o filósofo Nietzsche propôs: “Deus está morto”. -------------------------------------------------------------------------------- Artigo da Revista IstoÉ -------------------------------------------------------------------------------- Fundamentalistas Todo fundamentalismo é perigoso, seja quando se trata de religião, política, economia, nacionalismo ou até em temas "prosaicos" como futebol e música. Não creio em Deus. Pelo menos não da mesma forma que um cristão ou um muçulmano. Tenho apreço pelos ritos católicos e curiosidade por vidas de santos, isso por ser um amor aprendido na infância – e amores da infância são (quase) eternos. O “Deus” que me interessa é um Deus mais “filosófico” (ou mesmo “teológico”) que um Deus santíssimo. Aí está a grande questão. A filosofia é, grosso modo, a possibilidade de relativizar as coisas, e para as religiões não há relativização possível. Ou é céu ou inferno, ou pecado ou virtude, ou Deus ou diabo, bem ou mal. Seja como for, religião é um assunto que me interessa. E que ultimamente me preocupa. Porque noto que as religiões estão todas se tornando um tanto fundamentalistas (e não só o islamismo, como já é sabido). Todo fundamentalismo é perigoso, seja quando se trata de religião, política, economia, nacionalismo ou até em temas “prosaicos” como futebol e música (conheço alguns “fundamentalistas de mesa de bar”, aqueles sujeitos de opinião irredutível que têm a convicção dos crentes e a falta de humor dos fanáticos). Os fundamentalistas querem a volta à barbárie, querem subtrair da humanidade todas as suas conquistas, quando o único futuro possível do mundo – se é que há um – parece ser o culto à civilidade, a busca da democracia (mesmo que esta seja uma busca utópica) e o respeito e a tolerância às escolhas dos outros. Um mundo próximo do ideal seria um mundo onde todos pudessem vivenciar seus credos e convicções sem o barulho insano e cego das urbas, sem a sanha fundamentalista dos grupos e doutrinas. Mas isso parece cada vez mais longe. Entre os anos 60 e 70, muitos americanos se converteram ao islamismo, entre eles personalidades pop como o lutador Classius Clay e o cantor Cat Stevens. Isso ajudou bastante a difundir a doutrina islâmica mundo afora. Era charmoso, com uma certa tinta contracultural até. Naquela altura, ninguém imaginaria que a religião islâmica seria a máquina de morte em que se transformou hoje. Hoje também evangélicos às pencas, dispostos a carregar mais ovelhas para seu rebanho, invadem a internet como pragas no Egito para difundir seu pensamento moral totalitário em comentários nem sempre felizes ao pé de blogs e sites de notícias. E os católicos buscam, com a Renovação Carismática e sob o comando de um papa sem carisma, a volta dos fiéis pela espetacularização da fé através da missa-show e do sermão-palestra motivacional. A falência das liturgias e o avanço de uma visão fundamentalista do mundo são sintomas do que Nietzsche, não por acaso um filósofo, decretou bem antes de nós, com a certeza de um crente: “Deus está morto.” Com esses questionamentos acerca da fé, me indago: estarei eu sendo um fundamentalista também? Fonte: Verdade Gospel Artigo na Revista

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

APOCALIPSE:ONU PROPOE MOEDA UNICA

A Conferência da Organização das Nações Unidas para o comércio e desenvolvimento (UNCTAD), avalia a possibilidade de substituir o euro e o dólar por moeda global única. A UNCTAD pediu esta semana uma reforma abrangente, pois seus estudos mostram que o Brasil gastou mais do que os EUA e outros países ricos em estímulos à economia, considerando a proporção do PIB. A ONU propõs a criação de uma nova moeda global única que protegeria os mercados emergentes da especulação financeira. Por sua vez, a UNCTAD lançou uma hipótese real da criação de um tipo de banco central global, que emitiria uma moeda de reserca ‘artificial’. Uma idéia parecida, já teria sido proposta em 1944 e se chamaria ‘bancor’, mas não teve apoio na época. www.MidiaGospel.Com.br.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br . “Há uma possibilidade de que os países concordem em trocar suas moedas atuais por uma nova. Esta moeda global única teria como lastro uma cesta de divisas de todos os membros”, explica o relatório da entidade. A nova moeda auxiliaria a ajustar os desequilíbrios nos balanços de pagamento dos países, embora eles continuassem emitindo suas próprias divisas. Apesar de vários países, incluindo China e Rússia, já terem sugerido substituir o dólar como moeda de reserva mundial, esta é a primeira vez que uma grande instituição multinacional apoia a sugestão. Para os especialistas em escatologia, uma economia global unificada, sem papel-moeda, é necessária para cumprir a profecia de Apocalipse 13:16-18.

sábado, 19 de novembro de 2011

Sexualidade segundo a a biblia

Nosso Salvador Este Jesus é a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular. - Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos. Atos 4. 11 e 12 (nvi) Muitas pessoas reagem negativamente ao fato de não existir um outro nome além do de Jesus ao qual possam clamar por salvação. Mas isto não foi algo que a igreja decidiu, foi o ensinamento do próprio Senhor Jesus Cristo (Jo. 14. 6). Tendo em vista que Deus designou a Jesus para ser o Salvador do mundo, ninguém mais pode ser igual a Ele. Os cristãos devem ter a mente aberta para muitos assuntos, porém não devem questionar por intermédio de quem somos salvos do pecado, afinal, nenhum outro mestre religioso poderia morrer por nossos pecados; nenhum outro veio à terra como o único Filho de Deus; e nenhum outro ressuscitou dos mortos. Nosso foco deve estar em Jesus, que foi dado pelo Pai como mediador, a fim de que o homem pudesse ter um relacionamento eterno com Deus. Não existe qualquer outro nome ou caminho! (beap) Nosso Senhor Pois, na cidade de Davi, vos nasceu o Salvador, que é Cristo, o Senhor. Lucas 2. 11 (arc) Na ocasião do seu nascimento, Jesus é chamado "Salvador". - (1) " Como Salvador, veio nos libertar do pecado, do domínio de satanás, do mundo ímpio, do medo, da morte e da condenação pelas nossas transgressões (ver Mt. 1. 21 nota). " (2) " O Salvador também é "Cristo, o Senhor". Foi ungido como o Messias de Deus, e o Senhor que reina sobre o seu povo (ver Mt. 1.1, nota sobre o nome de Cristo). Ninguém pode ter Cristo como Salvador, enquanto o recusar como Senhor. (bep) Deus conosco Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e Ele será chamado pelo nome de Emanuel (que quer dizer: Deus conosco). Mateus 1. 23 (ara) Jesus seria chamado de Emanuel (?Deus conosco? ou ?Deus está conosco?), como fora predito pelo profeta Isaías (Is. 7.14). Jesus era Deus em carne; deste modo, Deus estava literalmente entre nós, ?conosco?. Pelo Espírito Santo, Cristo está presente hoje, na vida de cada crente. Talvez nem mesmo o próprio profeta Isaías tenha compreendido, completamente, a dimensão do significado do termo Emanuel. (beap) Nosso Mediador Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem. I Timóteo 2. 5 (ara) Boa parte da população vive enganada a esse respeito. Especialmente nas horas de dificuldade, muitas são as pessoas que apelam para qualquer coisa para resolver um problema. As possibilidades são diversas. Há quem acredite que espíritos, santos, duendes, anjos e até meros seres humanos podem servir de mediador entre Deus e o homem. Felizmente, não há ?burocracia? nas coisas espirituais! Podemos ir diretamente a Deus por meio de Jesus Cristo. A Bíblia é muito clara: ?há um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem?. (bee) Nosso Sumo Sarcedote Pelo que, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão. Hebreus 3. 1 (arc) Acima de todos os ?enviados? por Deus aparece o Filho, que é divino e preexistente, que se encarnou e que, tendo sido glorificado, se tornou o nosso Sumo Sacerdote. Na pessoa de Cristo é que temos, supremamente, a mensagem de Deus. A morte expiatória de Cristo salvou os homens dos temores da morte. Ao morrer, ele devorou a própria morte, e agora confere a vida eterna ao seu povo. Por isso mesmo, aquele que se afasta do Sumo Sacerdote celeste nunca encontrará acesso a Deus, não havendo intermediário em qualquer outro sacerdote ou sistema religioso. (nti) Nosso Advogado Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o Justo. I João 2. 1 (arc) Para as pessoas que estão se sentindo culpadas e condenadas, João oferece o restabelecimento da certeza. Elas sabem que pecaram, e satanás (chamado de ?acusador? em Ap. 12. 10) está exigindo a pena de morte. Quando você se sentir assim, não desista da esperança ? o melhor advogado de defesa do universo está pleiteando a seu favor. Jesus Cristo, seu Advogado, seu defensor, é o Filho do Justo Juiz. Ele já sofreu a penalidade em seu lugar. Você não pode ser julgado por um processo que está terminado. Unido a Cristo, você está tão seguro quanto Ele. Não tenha medo de pedir a Cristo para pleitear a sua causa ? Ele já a venceu (ver Rm. 8.33,34; Hb. 7.24,25). (beap) Nossa Esperança Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, por ordem de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, a nossa esperança. I Timóteo 1. 1 (nvi) Em Cristo é que se concentra a esperança da vida eterna, sendo Ele o seu único mediador. É verdade que a salvação não somente é remota e extremamente difícil para os homens (pois para eles é impossível se salvarem a si mesmos) mas, na pessoa de Cristo, os homens recebem graça divina e ajuda, contanto que queiram arrepender-se e confiar na eficácia eterna do sangue expiatório de Cristo, pois o resto Deus fará. (nti) Autor: Pr. João da Cruz Parente Via: www.estudosgospel.com.br

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Beni Him em manaus


Seis Regras Para Jovens Cristãos

1. Jamais despreze a oração diária. E, quando orar, lembre que Deus está presente ali, ouvindo suas orações. "sem fé é impossível agradar a Deus" (Heb 11;6). 2. Jamais menospreze a leitura diária das Escrituras. E, quando ler, lebre que Deus está falando a você; portanto, precisa crer e agir de acordo com o que Ele diz. Acredito que toda apostasia começa em se negligencia estas duas regras "Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim;"(João 5:39). 3. Jamais passe um dia sem fazer algo para Jesus. Todas as noites, medite sobre aquilo que Ele fez por você e pergunte a si mesmo: "O que estou fazendo por Ele?" "Vós sois o sal da terra" (Mat. 5:13-16). 4. Se você está em dúvida acerca de algo ser correto ou errado, dirija-se ao seu quarto, dobre seus joelhos e peça a bênção de Deus sobre aquilo "E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Se você não puder faze-lo, aquilo é algo errado" (Col. 3:17). Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque o que faz não provém da fé; e tudo o que não provém da fé é pecado." (Rom 14:23). 5. Jamais copie seu cristianismo de outros cristãos ou argumente que tal pessoa faz isto ou aquilo e, por conseguinte, você também pode faze-lo "pois não ousamos contar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes, medindo-se consigo mesmos e comparando-se consigo mesmos, estão sem entendimento." (II Cor 10:12). Pergunte a si mesmo: "como o Senhor Jesus agiria em meu lugar?" e esforce-se para segui-Lo "Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar." (João 10:27). 6. Jamais creia naquilo que você sente, se contradiz a Palavra de Deus. Pergunte a si mesmo: "O que eu sinto é verdadeiro, sendo confirmado pela Palavra de Deus?" Se ambos não podem ser verdadeiros, creia em Deus e acredite que seu coração está mentindo "De modo nenhum; antes seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado." (Rom 3:4); "Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê, mentiroso o faz, porque não crê no testemunho que Deus de seu Filho dá." I João 5:10-11). 

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Livre Arbítrio

Algumas considerações sobre um assunto que é um campo de batalha teológico há vários séculos. Agora que estou ficando mais velho freqüentemente vejo meu pai, que já faleceu há muito tempo, no espelho ao me barbear, e também algumas vezes quando faço uma pausa para refletir sobre minhas atitudes e ações, a "imagem" de meus pais é claramente discernível. Embora eu aprecie parte do DNA que eles transmitiram para mim, minha mulher pode confirmar que eu seria uma pessoa mais agradável se algumas dessas características genéticas estivessem ausentes! Mas independente do quanto eu tente me renovar, acho virtualmente impossível fazer alterações significativas em minha personalidade, e é somente por meio da vigilância constante que consigo suprimir algumas de minhas deficiências mais evidentes. Portanto, minha pergunta é esta: Naqueles casos em que tentei mudar para melhor, foi minha vontade realmente livre no esforço? Embora ninguém tenha torcido meu braço para me forçar, foi a motivação totalmente interna e sem qualquer coerção? Ou tenho de admitir que as críticas e comentários negativos recebidos interferiram em minha zona de conforto, de modo que meu motivo para corrigir o problema foi egoísta? Em outras palavras, não fui virtualmente pressionado a fazer um esforço para me tornar mais aceitável aos outros? Se vivêssemos em total isolamento, nossa vontade seria livre para fazer aquilo que vem naturalmente. O egoísmo e outras predisposições genéticas poderiam ser alegremente ignoradas porque a única pessoa que teríamos de agradar é a de número 1! Mas como o monasticismo é contrário à natureza humana, nós nos agrupamos em sociedade e as centelhas aparecem à medida que nossos egos entram em conflito! Os elementos internos que literalmente constituem quem somos e operam além do nosso controle movem-nos em padrões previsíveis tão involuntários quanto a respiração. Assim, a capacidade de alguém exercer sua vontade é claramente limitada e gera uma questão legítima sobre se a definição de "livre" pode tolerar limitações. "De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade." [Filipenses 2:12-13]. Por que precisaria minha vontade — minha "força" — ser ignorada e resistida? Porque sou um pecador por natureza e esse princípio foi confirmado pelo rei Davi quando declarou: "Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe." [Salmos 51:5]. Meu amigo, não sou um pecador por que peco. O fato é que peco porque sou um pecador! Nasci pecador e enquanto permanecer neste corpo frágil criado do pó, o pecado terá um papel na definição que quem sou. Portanto, independente de quão poderosamente eu tente agir da forma contrária, todos esses esforços de minha parte não podem mudar minha natureza mais do que um leopardo pode mudar suas manchas ou um etíope mudar a cor de sua pele. (Jeremias 13:23) Somente Deus pode me fazer ser uma pessoa melhor. Contrariamente ao que tem sido ensinado por alguns pregadores com mais zelo do que conhecimento, o novo nascimento não elimina nossa natureza pecaminosa e qualquer pessoa com um mínimo de bom senso deve ser capaz de discernir o fato que todos os cristãos continuam a pecar após serem salvos! Um estado "técnico" de perfeição sem pecado para o cristão é alcançado por meio da justificação por um Deus Santo — um decreto jurídico que nos declara perfeitos à vista de Deus — embora em termos práticos do dia a dia ainda permaneçamos pecadores merecedores do inferno enquanto estamos deste lado do céu! A razão por que muitos estão confusos com relação a esse assunto é por que eles realmente não compreendem a definição teológica de pecado — o que, falando em termos simples, envolve qualquer falha em atingir o padrão de perfeição de Deus! "Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." [Romanos 3:23]. Se em alguma área de sua vida que você não é tão perfeito quanto o próprio Deus, você "errou o alvo" e isso é exatamente o que a palavra grega hamartia — traduzida como "pecado" em todo o Novo Testamento — realmente significa. Quando entendemos esse conceito, a compreensão de quão distantes estamos de alcançar o padrão de perfeição de Deus deve nos deixar envergonhados e nos fazer cair de joelhos. Portanto, embora seja impossível estar sem pecado, precisamos fazer todos os esforços para pecar menos. Então, somente com a ajuda do Espírito Santo podemos fazer qualquer avanço em direção a esse ideal. Por esse motivo, o Espírito Santo dirigiu o apóstolo Paulo a escrever sobre sua própria luta contra o pecado após sua conversão: "E eu, nalgum tempo, vivia sem lei, mas, vindo o mandamento, reviveu o pecado, e eu morri. E o mandamento que era para vida, achei eu que me era para morte. Porque o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou. E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom. Logo tornou-se-me o bom em morte? De modo nenhum; mas o pecado, para que se mostrasse pecado, operou em mim a morte pelo bem; a fim de que pelo mandamento o pecado se fizesse excessivamente maligno. Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado. Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo. Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; mas vejo nos meus membros outra lei, que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros. Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado." [Romanos 7:9-25]. Como declarei em artigos anteriores, existem somente dois tipos de pecadores: os perdidos e os salvos. Pela graça de Deus somente, tenho a felicidade incomparável de estar entre os últimos. Embora como um cristão eu não possa atingir a perfeição de não pecar mais, posso, todavia, agradar a Deus tendo a disposição de tentar evitar o pecado e viver a vida cristã em sua plenitude. O que quero enfatizar neste ponto é que antes de ser salvo, eu não poderia agradar a Deus, por mais que eu tentasse, por que minha vontade era totalmente incapaz: "Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus." [Romanos 8:8]. Se há alguma dúvida sobre o que Paulo quis dizer com "estar na carne ", isto é explicado no verso 9: "Vós, porém, não estais na carne, mas no Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele." [Romanos 8:9]. A expressão "estar na carne" refere-se às pessoas em quem o Espírito Santo não reside — as massas de pessoas perdidas e não-regeneradas. Enquanto elas permanecem nessa condição é impossível agradarem a Deus ou serem aceitas por Ele! Então, para tornar as coisas muito piores, encontramos mais informações em 1 Coríntios com relação àqueles que estão perdidos: "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." [1 Coríntios 2:14]. Essas passagens dizem claramente que os perdidos não podem agradar a Deus e nem compreender a mensagem do evangelho e, quando acrescentamos o princípio bíblico que eles estão espiritualmente mortos (Romanos 6:23; Efésios 2:1,5; Colossenses 2:13), o gorila de 350 Kg na sala é este: como eles podem mudar sua situação se não conseguem enxergar o fato que estão espiritualmente mortos e que suas almas estão correndo o risco de irem para o inferno? "Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus." [2 Coríntios 4:4]. Com tudo isto em vista, não é uma total contradição propor que aqueles que são escravos do pecado e de Satanás tenham a liberdade de desejar qualquer coisa de uma natureza espiritual? "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado." [João 8:34]. "Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência." [Efésios 2:2]. Como nosso subtítulo sugere, mesmo após a passagem de vários séculos (quase dois mil anos), o princípio do livre arbítrio retém o potencial de produzir acalorados debates dentro da cristandade. A vasta maioria dos cristãos evangélicos hoje aprendeu que o homem não-regenerado tem livre arbítrio e, portanto, possui a capacidade de mudar sua mente a respeito de Cristo. Mas, ao encerrar, gostaria respeitosamente de pedir que você considere o seguinte: Uma vez que a Palavra de Deus diz que uma pessoa perdida não pode agradar a Deus, como poderia esse indivíduo mudar de idéia a respeito de Jesus Cristo, quando uma mudança genuína sem dúvida agradaria a Deus? E como é possível que essa vontade possa ter qualquer relevância devido ao fato que o indivíduo está espiritualmente morto? Adão e Eva originalmente possuíam a capacidade de agradar ou desagradar a Deus (a definição teológica do termo "livre arbítrio") , mas acabaram perdendo a capacidade de agradá-Lo. Portanto, parece para mim que Deus é quem salva após o conselho de Sua vontade — não a vontade de um escravo do diabo, alguém que está espiritualmente morto e vivendo separado de Deus. (Efésios 4:17-19) "Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade." [Efésios 1:4-5]. "Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça, que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência; descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo, de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados, conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade." [Efésios 1:7-11]. "Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece." [Romanos 9:16]. "Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como primícias das suas criaturas." [Tiago 1:18]. A enganação espiritual está ao nosso redor e, em minha opinião, o conceito do livre arbítrio continua a ter um papel relevante na pregação de uma "salvação fácil" que vemos hoje. Os pregadores estão usando métodos psicológicos calculados para fazer pressão sobre os perdidos por que estão convencidos que o único obstáculo para a salvação é a vontade obstinada que eles têm. Esses pregadores acreditam que a vontade possa ser revertida por meio da pregação (e da música) calculada para impactar as emoções e aumentar a probabilidade de que alguns perdidos mudem de idéia e aceitem a Jesus Cristo. Mas o problema com os pregadores que tentam fazer a obra do Espírito Santo é que a maioria das "decisões" acabam sendo feitas na cabeça e não no coração — um fato que o próprio homem que tornou essa teologia e esse tipo de pregação populares pouco mais de cem anos atrás — o evangelista Charles Grandison Finney, reconheceu e lamentou. Se há uma coisa de que nossas igrejas certamente não precisam é de mais joio no meio do trigo! Autor: Pastor Ron Riffe

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Como combater os efeitos do estresse

Estresse, do inglês stress. O dicionário diz: “Estresse é qualquer força exercida sobre um corpo que tende a comprimir ou alterar a sua forma”. O estresse pode ter causas interiores ou exteriores. Pode ser físico, químico, emocional resultando em tensão física ou mental. O estresse pode contribuir com certos problemas emocionais ou doenças, porém esses problemas ou doenças também podem causar estresse. Pode acabar sendo um círculo vicioso sugando a energia emocional e física da pessoa, levando-a a depressão, ou se já estiver deprimida, aprofundando-a. Podemos dizer que estresse é nossa resposta às pressões que desequilibram nossas vidas. O coração bate mais rápido, a pressão sobe, começamos a suar, a tensão muscular aumenta, a adrenalina dá um salto e mais gordura e açúcar são liberados no sangue como combustível preparando para uma ação imediata. Mas nem todo estresse tem efeitos tão óbvios. O estresse de uma auto-imagem negativa, um emprego onde não nos sentimos realizados, carências não atendidas, e trabalho que não conseguimos completar provoca tanto estresse e tanto dano quanto qualquer uma outra situação aguda e momentânea. O estresse em si não é danoso. De fato, estamos sempre sob alguma tensão e isto inicialmente nos impulsiona, nos motiva, nos estimula a produzir. Todavia, quando o estresse ultrapassa nossa habilidade de responder bem, nossa produtividade começa a cair e se transforma em aflição. Se não atendemos aos sinais de estresse, corremos perigo de doença e outros problemas emocionais. Muitas vezes, basta diminuir o ritmo, baixar um pouco as expectativas, reavaliar os alvos. Outras vezes é preciso ajuda profissional. É importante considerarmos que uma lei física e psicológica é que tudo sempre está procurando chegar ao equilíbrio ou manter o equilíbrio, chama-se “Princípio da Homeostase”. Quando nosso corpo se sente desequilibrado quanto à alimentação, ao exercício, ao descanso ou outras necessidades físicas, manda um recado à nossa mente. Esta mesma experiência acontece na área das necessidades emocionais. Quando alguma coisa está desequilibrada em nossos relacionamentos, em nossas emoções nossa mente manda um recado ao nosso corpo. Perdemos o sentido da harmonia e paz que indica equilíbrio e, quase sempre, acontece uma reação somática sob a forma de doença que pode ser de uma enxaqueca ao câncer. Muita gente se sente estressada por falta de visão clara de sua vida, suas metas, objetivos. Não ter clareza do que deseja, dos alvos a alcançar, das metas atingidas pode provocar estresse e ansiedade desmedidas. Ter uma expectativa equilibrada da vida e propósitos exeqüíveis pode colaborar na busca do equilíbrio. Reflita sobre seus hábitos. Todos eles. Se você come compulsivamente, há algo errado que precisa ser analisado. Se você tem dificuldade constante de conciliar o sono, precisa rever hábitos e comportamentos. Se há irritabilidade, insatisfações, inquietações sem causa aparente, angústia, palpitações, distúrbios no metabolismo ou qualquer outra coisa que não seja “normal”, é bom refletir e tomar atitudes que possam provocar mudanças positivas. Procure sentir prazer e alegria com pequenas coisas. Entusiasme-se com a vida. Cultive hábitos saudáveis e inclua momentos de intimidade com Deus. Leia a Bíblia todos os dias e ore. Jejue uma vez por semana. Freqüente os trabalhos de sua congregação regularmente. Não perca a Escola Dominical e os cultos de oração. Cultive a gentileza, a boa educação. Procure ser grato (a) a Deus e às pessoas que lhe são queridas. Seja leal, discreto (a), ponderado (a), sensato (a), equilibrado (a). E não esqueça de confiar em Deus. Lembre-se: Deus é fiel, perfeitamente bom e Todo-Poderoso! Autor: Régia Maria Carvalho Peixoto

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Halloween no Brasil

Halloween no Brasil O halloween no Brasil é chamado de Dia das Bruxas. Sua celebração acontece no dia 31 de outubro, dia que antecede o dia dos finados. Acredita-se que na passagem dessa noite, as almas saem de seus túmulos e partem pelas ruas amedrontando todos aqueles que estão por perto. O dia das bruxas se infiltrou em nossas comemorações de forma tímida, pois o Brasil, país que celebra as coisas boas da vida, não se vê em meio a festividade à mortos. Apesar de sua pequena influência, pode ser vista em escolas, clubes, casas noturnas e shoppings centers de várias cidades, mas como dito anteriormente, não adquire força expressiva já que nem o folclore local é efetivamente comemorado. Muitos nacionalistas dão créditos a influência do imperialismo cultural americano à vinda do halloween, porém alguns brasileiros localizados em São Luiz do Paraitinga cidade paulista, decretou o dia 31 de outubro como o dia oficial do Saci Pererê em protesto à inclusão do Halloween. A maioria das manifestações critica a posição dos brasileiros em importar a cultura americana já que o país tem grande diversidade folclórica que não é aproveitada e comemorada. Apesar de todo o esforço da imprensa em destacar essa festividade norte-americana, os brasileiros não costumam se apegar à festa. É na maioria das vezes comemorada pela elite, pessoas que vivem apenas do que é estrangeiro e por poucas pessoas das classes médias e baixas dão considerações à noite do halloween. No Rio de Janeiro as manifestações são caracterizadas por placas espalhadas pela cidade opondo tal prática e ainda em pedido ao retorno das considerações brasileiras, isto é, dar valor e importância as crenças nascidas no país deixando manifestar o patriotismo dentro de nossa cultura.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Os três últimos desejos de Alexandre o Grande Dizem que estes foram os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE: 1. Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época; 2. Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistado como prata , ouro, e pedras preciosas; 3. Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos. Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões desses pedidos e ele explicou: 1. Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte; 2. Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem; 3. Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos. Pense nisso... - Autor desconhecido.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Frases Célebres Sobre a Bíblia

Se eu a coloco (a Bíblia) abaixo de todos os livros, ela é a que mantêm todos eles, se eu a coloco no meio dos outros livros, ela é a coração desses livros, e se eu a coloco em cima dos outros livros, ela é a cabeça e autoridade de todos os livros em minha biblioteca. Rui Barbosa A Bíblia parece uma orquestra sinfônica, tendo o Espírito Santo como seu maestro; cada instrumento foi trazido voluntária, espontânea e criativamente para tocar suas notas exatamente como o grande maestro queria, embora nenhum dos músicos pudesse ouvir a música como um todo. J. I. Packer www.MidiaGospel.Com.br Estudo Biblico Jesus DEUS.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br . Um simples cristão com a Bíblia na mão pode dizer que a maioria está errada. Francis Schaeffer A Bíblia, toda a Bíblia e nada mais do que a Bíblia, é a religião da igreja de Cristo. C. H. Spurgeon A divindade de Cristo é a doutrina-chave das Escrituras. Rejeite-a, e a Bíblia tornar-se-á um amontoado de palavras sem qualquer tema que lhe dê unidade. Aceite-a, e a Bíblia tornarse-á uma revelação compreensível e ordenada de Deus na pessoa de Jesus Cristo. J. Oswald Sanders Nossa fé é alimentada pelo que está claro nas Escrituras e testada pelo que é obscuro. Agostinho Enquanto outros livros informam e poucos reformam, só este livro transforma. A. T. Pierson A Bíblia é uma mina de diamantes, um colar de pérolas, a espada do espírito; um mapa pelo qual o cristão navega para a eternidade; o roteiro pelo qual anda todos os dias; o relógio pelo qual acerta sua vida; a balança com a qual pesa suas ações. Thomas Watson O cristão percebe que os dentes do tempo roem todos os livros, menos a Bíblia... Dezenove séculos de experiência a têm provado. Ela passou pelo furor da crítica que nenhum outro volume sofreu; suas verdades espirituais suportaram as chamas e saíram ilesas até do cheiro de queimado. W. E. Sangster A Bíblia é uma janela na prisão deste mundo, através da qual podemos olhar para a eternidade. Timothy Dwight Quero conhecer uma coisa: o caminho para o céu... O próprio Deus dignou-se a ensinar o caminho... Ele o escreveu em um livro. Oh, dá-me esse livro! A qualquer preço, dá-me o livro de Deus! John Wesley O homem que não está preparado para prestar obediência à Palavra de Deus não é capaz nem de ouvi-la corretamente. Por isso as parábolas tornam-se janelas para algumas pessoas e muros para outras. J. Blanchard Onde a Bíblia não tem voz, não devemos ter ouvidos. John Trapp A Bíblia é entre os livros aquilo que Cristo é entre os homens. Anônimo A Bíblia, como revelação de Deus, não tem a intenção de nos dar todas as informações que pudéssemos desejar nem de resolver todas as questões com as quais a alma humana vive perplexa, mas a de transmitir o suficiente para ser um guia seguro para o porto do descanso eterno. Albert Barnes Encha seu coração e sua mente com a Palavra de Deus. Memorize versículo, de modo que você possa citar a passagem corretamente quando estiver em reuniões ao ar livre ou pregando para alguma pessoa. Ao fazer isso, estará lançando sementes no coração dela, as quais serão germinadas pelo Espírito Santo. Ele será capaz de trazer à sua mente aqueles textos que você memorizou um dia. Você precisa estar ensopado com a palavra de Deus, tão cheio dela que você mesmo seja uma carta viva, conhecida e lida por todos os homens. Os crentes são fortes apenas quando a Palavra de Deus habita neles. Smith Wigglesworth

Marco Feliciano quer ser Senador | Noticia Brasil | Midia Gospel

Marco Feliciano quer ser Senador | Noticia Brasil | Midia Gospel

Jovem em coma após ser incendiada em Ritual Satânico | Noticia Religião | Midia Gospel

Jovem em coma após ser incendiada em Ritual Satânico | Noticia Religião | Midia Gospel

As Sete Coisas Que Aborrece ao Senhor, e a Sétima a Sua Alma Abomina

“Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos”. PV 6:16:19. www.MidiaGospel.Com.br Estudo Biblico Jesus DEUS.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br . Aborrecer, segundo o dicionário Aurélio significa: Sentir horror, detestar, causar aborrecimento, desgostar. Abominação significa: Imundo, repugnante. [Do lat. Abominatione] Ato de abominar, repulsão. 1. Olhos altivos. Soberbo no grego é huperephanos, significa “monstrar-se a si mesmo acima dos outros”. A soberba sem duvida é um grande mal, por isso o salmista orava dizendo: “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão”. Sl 19:13. “A soberba procede a ruína, e a altivez do espírito, a queda”. PV 16:18. Por causa do seu orgulho, Satanás foi precipitado do monte de Deus (Ez 28:16, 17). Quando somos dominados pela soberba, ficamos semelhantes a Satanás (Is 14: 13-15). “Antes dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes”. Tg 4:6. Precisamos reconhecer o quanto dependemos de Deus, de sua misericórdia em todos os momentos da nossa vida. 2. Língua mentirosa. Uma língua mentirosa aborrece a Deus. Por isso a nossa língua deve estar sempre debaixo do controle do Espírito Santo. Não podemos entregar a língua, que é um membro do nosso corpo tão importante na comunicação, ao pecado, como instrumento de injustiça. “Não reine, portanto o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumento de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça”. Rm 6:12, 13. A única coisa na bíblia que o diabo é pai é a mentira. “Vós tendes por pai o diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o principio e não se firmou na verdade. Porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”. Jo 8:44. A verdade liberta a alma, enquanto a mentira escraviza (PV 14:25). O inferno é o lugar de quem ama e pratica a mentira (AP 22:15). 3. Mãos que derramam sangue inocente. Qualquer pessoa que derramar sangue inocente na ficará impune diante da justiça de Deus. “Os seus pés são ligeiros para derramar sangue, nos seus caminhos, há destruição e miséria; desconheceram o caminho da paz. Não há temor de Deus diante de seus olhos. Rm 3:15-18; Is 59:7. “Todo homem desprovido do Espírito de Cristo corre velozmente ao encontro de algum mal porque são estranhos a paz”. Matthew Henry. 4. Coração que maquina pensamentos viciosos. O mal se instala inicialmente na mente e no coração da pessoa. Por isso devemos protegê-los. Tenha cuidado com os seus pensamentos, pois eles dirigem a sua vida. “Sobre tudo o que se deve guardar; guarda o coração, porque dele procedem às saídas da vida”. Pv 4:23. Como devemos proteger o nosso coração do mal? Através da palavra de Deus. Guardar a palavra significa obedecer e seguir seus mandamentos (Sl 119:11). A nossa mente deve ser ocupado com pensamentos que sejam verdadeiros, honestos, justos, puros, amáveis, de boa fama, virtuosos e louváveis (Fl 4:8). 5. Pés que se apressam a correr para mal. Infelizmente a maldade esta presente na mente e no coração de muitas pessoas. A bíblia mostra que quem faz o mal ao próximo receberá o mal como recompensa. “O que busca cedo o bem busca favor, mas ao que procura o mal, este lhe sobrevirá”. Pv 11:27. Quem procura o mal será destruído. “Como a justiça encaminha para a vida, assim o que segue o mal faz isso para sua morte”. Pv 11:19; Pv 6:15. O mal é sem duvida o resultado da falta de Deus no coração do homem. Para que o mal seja controlado, depende de nos mesmos. O mundo jamais mudará para melhor se não agirmos com responsabilidade e temor de Deus e nos desviarmos do mal, contribuindo, assim para amenizar o avanço deste na sociedade (Pv 14:16). Devemos vencer o mal e jamais correr em direção a ele. 6. Testemunha falsa que profere mentiras. Você não pode testemunhar o que não ouviu. Você não pode testemunhar aquilo que não presenciou. Ninguém tem o direito de fazer declarações falsas dos atos ou caráter de outras pessoas. Devemos falar de modo justo, honesto, sempre verdadeiro a respeito de qualquer pessoa. Muitos se corromperam se tornaram instrumentos de Satanás, ao ponto de aceitar suborno para denegrir pessoas que sofreram para construir uma história de vida (Dt 27:25). Estevão, o primeiro mártir da igreja, não escapou de homens corruptos, que subornaram outros homens para falarem falsamente contra ele, com a finalidade de prendê-lo e levá-lo ao sinédrio. “E não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava. Então subornaram homens que dissessem: Temos ouvido este homem proferir blasfêmias contra Moisés e contra Deus”. Atos 6:10, 11. Mas os que tais coisas praticam não ficarão sem punição. “A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras não escapa”. Pv 19:5. Temos que trabalhar com a verdade. Ex 20:16; Sl 101:7; Ef 4:25; Tg 3:14. 7. O que semeia contendo entre irmãos. Das sete coisas listadas aqui, esta não só aborrece ao senhor, como também é abominável aos seus olhos. Quando Deus abomina algo, é porque sente aversão a isso. Não é bom ser visto por Deus, como alguém que pratica o que é abominável. A língua foi criada para ser uma fonte de bênçãos, mas tem se tornado um instrumento de guerra. Das sete coisas que estão nesta lista, três estão relacionadas a língua. Língua mentirosa, testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos. Hoje existem dentro das nossas igrejas casamentos destruídos, ministérios, pessoas esgotadas fisicamente, emocionalmente, e espiritualmente por causa de pessoas que emprestaram a língua Satanás para semear contendas entre irmão (Sl 133). “O homem perverso espalha contendas, e o difamador separa os maiores amigos. Pv 16:28. Os verdadeiros filhos de Deus, foram chamados para promover a comunhão e não divisão. Aqueles que causam divisão não tem o Espírito de Deus (Jd 19). Conclusão. Se estas coisas aborrecem ao senhor, não podem ser praticadas por mim e você, pois sofreremos as conseqüências se desobedecermos a Deus e a sua palavra. Mas seremos grandemente recompensados se nos desviarmos destas coisas que são abomináveis a Deus.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

AS PROMESSAS DO SALMO 21

Deus estabeleceu o dia da bonança e o da adversidade com um objetivo bem específico: que o homem nada descubra do que há de vir depois dele "No dia da prosperidade goza do bem, mas no dia da adversidade considera; porque também Deus fez a este em oposição àquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele" ( Ec 7:14 ). LEVANTAREI os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra. Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará. Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita. O sol não te molestará de dia nem a lua de noite. O SENHOR te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre. Introdução Deus estabeleceu o dia da bonança e o da adversidade com um objetivo bem específico: que o homem nada descubra do que há de vir depois dele "No dia da prosperidade goza do bem, mas no dia da adversidade considera; porque também Deus fez a este em oposição àquele, para que o homem nada descubra do que há de vir depois dele" ( Ec 7:14 ). O maior problema da humanidade geralmente fixa-se no dia de amanhã e, Jesus conhecendo esta realidade, instruiu o povo dizendo: “Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal” ( Mt 6:25-34 ). Apesar das escrituras demonstrarem que foi Deus quem estabeleceu o dia da adversidade, muitos tentam se socorrer dos salmos para se livrarem das aflições deste tempo presente, o que transtorna o objetivo primordial dos salmos. Quantas vezes o Salmo 121 foi recitado! Quantas vezes ele foi utilizado como um amuleto! O que motiva as pessoas utilizarem esse salmo em suas orações para adquirirem bênçãos materiais é a falta de entendimento, pois o entendido sabe distinguir as bênçãos eternas das aquisições materiais. Quais as bênçãos de Deus para com os homens? O Salmo 103 contém as bênçãos que Deus quer dar aos homens, pois as enumera e as descreve: Ele perdoa as iniquidades e sara todas as enfermidades do homem ( Sl 103:3 ; Is 53:4 ), ou seja, é Ele quem redime e salva o homem pelo seu amor e misericórdia, etc. No verso 5 do salmo 103, o salmista anuncia em meio as bênçãos de Deus que é Ele que enche a boca do homem de bens ( Sl 103:5 ). Por que os bens do Senhor não estão relacionados com as mãos, mas com a boca? Porque para ‘enriquecer’ o homem ‘enchendo sua boca de bens’ é necessário uma intervenção divina profunda. Da boca do homem natural só procede mentira, engano, pois é disto que fala desde que nasce ( Sl 58:3 ), seu coração é enganoso. Quando o homem é circuncidado por Deus, o coração enganoso é trocado por um novo coração, de sorte que o homem renasce e torna-se uma nova criatura ( Sl 51:10 ; Ez 36:25 -28). Somente com um novo coração dado por Deus sairá abundantemente o bem da boca do homem, pois do que há em abundância no coração disto fala a boca ( Mt 12:34 ). Quando lemos a bíblia, devemos considerar que tudo que o Senhor Jesus ensinou a multidão foi dito por enigmas, parábolas "E sem parábolas nunca lhes falava; porém, tudo declarava em particular aos seus discípulos" ( Mc 4:34 ); "E disse-lhes: Não percebeis esta parábola? Como, pois, entendereis todas as parábolas?" ( Mc 4:13 ). Se Jesus ordenou para que não se ajunte tesouro na terra, onde a traça e a ferrugem consomem, seria um contra senso o salmo declarar que a boca cheia de bens faz referência a bens materiais "Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam" ( Mt 6:20 ). Certo é que a ‘bênção do Senhor que enriquece’ não trará bens pertinentes a este mundo, mas ao mundo vindouro, pois a vida do homem não consistes nos bens que possui ( Lc 12:15 ). Cristo, a sabedoria de Deus, é a bênção do Senhor que enriquece "Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça" ( Pv 8:18 ), pois n’Ele não há trabalho, dores, antes Ele é o descanso prometido ( Hb 4:3 ). O que acrescenta dores é o trabalho diuturno do homem, pois foi castigado no Éden com o trabalho árduo, somente comerá do suor do seu rosto tendo dores ( Gn 3:17 ). Seria um carro a bênção do Senhor? Não, pois junto com o carro vêm os impostos, a gasolina, a manutenção, a preocupação, o ladrão, a ferrugem, etc., mas a bênção do Senhor é tesouro que se guarda nos céus, onde a traça e a ferrugem não consomem. Portanto, após acatar o que o apóstolo Paulo recomendou: "Tendo, porém, sustento, e com que nos cobrirmos, estejamos com isso contentes" ( 1Tm 6:8 ), visto que aqueles que querem ser ricos neste mundo será acometido de muito trabalho, resta refugiar-nos em Cristo, que é justiça e bem durável “Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” ( 1Tm 6:9 -10). Então, qual o objetivo do salmo 121, a quem se aplica as promessas deste Salmo? Ao salmista e rei Davi? Ora, sabemos que Davi era profeta e, que Deus havia prometido a Davi que seu Filho haveria de se assentar sobre o trono das duas casas de Israel “Fiz uma aliança com o meu escolhido, e jurei ao meu servo Davi, dizendo: A tua semente estabelecerei para sempre, e edificarei o teu trono de geração em geração” ( Sl 89:3 -4). As promessas contidas neste salmo apontam para Cristo, pois o objetivo dos salmos é revelar Jesus Cristo o filho de Davi ( Lc 1:69 ), que ao despir-se da sua glória e sujeitar-se às mesmas fraquezas que os homens ( Fl 2:7 ; Hb 2:17 ), buscaria proteção, guarida à sombra de Deus. LEVANTAREI os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. 2 O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra. O Filho de Davi na adversidade confiaria no Deus da sua salvação, e nesta previsão o salmista deixa claro que Cristo sempre faria menção do nome do Senhor: o meu socorro vem do Senhor que fez o céu e a terra! “Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe. Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe. Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude” ( Sl 22:9 -11). Olhando as nações ao redor (montes), em nenhuma delas há socorro, mas em Deus o socorro é bem presente na hora da angustia ( Sl 46:1 ). Monte, outeiro são figuras utilizadas para fazer referencia às nações e os povos, como se lê "E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do SENHOR no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações" ( Is 2:2 ), ou seja, o profeta Isaías anuncia que, a nação de Israel (monte) se firmará e se elevará acima de outras nações (outeiros), pois concorrerá a Israel todas as nações "Assim virão muitos povos e poderosas nações, a buscar em Jerusalém ao SENHOR dos Exércitos, e a suplicar o favor do SENHOR" ( Zc 8:22 ). 3 Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará. 4 Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel. 5 O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita. 6 O sol não te molestará de dia nem a lua de noite. 7 O SENHOR te guardará de todo o mal; guardará a tua alma. 8 O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre. Nesta previsão são enumeradas as bênçãos de Deus sobre o Verbo encarnado: Não deixará vacilar o teu pé – Por que Cristo não vacilaria? A resposta está no salmo 16: “Tenho posto o SENHOR continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente” ( Sl 16:8 -11) - Por confiar no Pai, nunca o Cristo haveria de vacilar ( Sl 91:2 ). O Salmo 16 aplica-se a Cristo conforme o que demonstrou o apóstolo Pedro aos israelitas no dia de pentecostes ( At 2:25 -28); Aquele que te guarda não tosquenejará, eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda – Deus promete através da boca do salmista velar, guardar o seu Filho com todo zêlo. Não haveria o menor descuido quanto ao Filho, o Verbo que se fez carne e habitou entre os homens. O Filho jamais ficaria abandonado por neste mundo, pois seria objeto do cuidado de Deus em todos os momentos, mesmo nas horas de angustias e na morte, pois foi do agrado do Pai estabelecê-lo por aliança do povo (Israel) e luz para os que jaziam em trevas (gentios) "Eu, o SENHOR, te chamei em justiça, e te tomarei pela mão, e te guardarei, e te darei por aliança do povo, e para luz dos gentios" ( Is 42:6 ); "Guarda a minha alma, pois sou santo: ó Deus meu, salva o teu servo, que em ti confia" ( Sl 86:2 ); O SENHOR é a tua sombra à tua direita – Deus promete ao seu Filho proteção constante, ou seja, seria a sua própria sombra, tendo em vista que o Filho haveria de invocá-lo "Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas" ( Sl 17:8 ) "Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos" ( Sl 91:11 ; Sl 91:15 ); O sol não te molestará de dia nem a lua de noite – Este verso aponta a investida dos homens e de satanás contra Cristo através de palavras de engano (setas) “Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia, nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia” ( Sl 91:5 -6). Nem os homens da religião e nem satanás haveria de demover com palavras de engano o Cristo da sua firmeza, pois a palavra que expressa a vontade do Pai lhe seria escudo e broquel. Cristo estaria protegido debaixo das asas do Pai, o que demonstra que Deus é fiel a sua palavra, o Verbo que se fez carne ( Sl 91:1 e 4 ); O SENHOR te guardará de todo o mal – Cristo foi morto de forma cruel e negaram-lhe justiça, então como pode ter se cumprido este salmo na vida dele? O mal que o salmo fala é da palavra do engano, pois Cristo não pecou, visto que não houve na sua boca o engano "E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca" ( Is 53:9 ; IPe 2:22 ). Por colocar o Pai como refugio, Deus promete ao Filho completa isenção do mal “Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação. Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda” ( Sl 91:9 -10); Guardará a tua alma – Esta é uma promessa além-túmulo, quando Cristo fosse sepultado "Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção" ( Sl 16:10 ); "Para que viva para sempre, e não veja corrupção" ( Sl 49:9 ); "Em ti, ó Senhor, me refugio; nunca seja eu envergonhado; livra-me pela tua retidão (...) Nas tuas mãos encomendo o meu espírito...” ( Sl 31:1 -5). O SENHOR guardará a tua entrada e a tua saída, desde agora e para sempre – Esta promessa remete ao momento em que Cristo seria introduzido no mundo na condição de unigênito de Deus ( Hb 1:6 ), e Deus usou José poderosamente para cuidar de Maria e do menino avisando-o em sonhos para saírem de Nazaré, livrando-o das mãos de Herodes, pois diferente de todo os homens, que entraram neste mundo por Adão, a porta larga, Cristo foi lançado da madre por Deus na condição de porta estreita, porém, seria perseguido ao nascer "Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe" ( Sl 22:10 ; Mt 2:18 ); Já a saída se daria sob a proteção do Pai, visto que triunfantemente antes de morrer, disse: "Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, SENHOR Deus da verdade" ( Sl 31:5 ). Quando no seio da terra Deus não permitiu que a sua alma permanecesse na morte e nem que o seu corpo visse corrupção, visto que foi ressuscitado por Deus dentre os mortos. Veja a proteção que Deus estabeleceu sobre o seu Filho neste Salmo e, se você sentir necessidade de proteção, confie em Deus e lembre-se, a sua vida está escondida com Cristo em Deus, pois você, quando creu em Cristo para salvação, passou a ser um dos seus filhos "Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus" ( Cl 3:3 ). Cristo prometeu que estará com os seus seguidores todos os dias da vida até a consumação dos séculos ( Mt 28:20 ), mas a presença de Cristo não exclui as aflições deste mundo ( Jo 16:33 ). O alivio e descanso prometido por Cristo não diz das desilusões e aflições deste mundo, antes refere-se a libertação do pecado proveniente da queda de Adão. Tags: deus, este, porque, homem, depois, descubra, dele, também, nada, adversidade Última atualização ( Ter, 05 de Julho de 2011 10:13 )

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

A Maldiçao de Familia

Introdução Nestes dias difíceis em que a Igreja enfrenta a invasão das seitas, do ocultismo e da Nova Era, sem contar a crise de integridade, uma nova crise de identidade, se abate sobre o povo evangélico brasileiro. Um dilúvio de novas teologias, fenômenos e práticas espirituais invade a comunidade evangélica, atingindo proporções tais que exigem um posicionamento definido da liderança. O evangelho é simples, mas muitos pregadores estão ensinando outro evangelho que tem trazido divisão no corpo de Cristo - são os ensinos da Confissão Positiva, da Saúde e da Prosperidade, Espíritos Territoriais, Maldição de Família, Cura Interior e uma ênfase excessiva na Batalha Espiritual. A Nova Teologia da Maldição de Família Este ensino diz que muitos problemas que o cristão enfrenta, sem obter soluções adequadas, são devidos a uma maldição que acompanha a família pôr causa das práticas abomináveis a Deus, como a idolatria, feitiçaria ou pacto satânico, etc. Realizadas pôr algum antepassado. Portanto, é necessário descobrir dentro da árvore genealógica o antepassado que tinha o problema. Muitos sãos os textos usados para defender esta doutrina, como em: Êx. 20:5; Lv 26:39; Nm 14:18; 23:8; Dt 30:19. O Significado de Bênção Seria ter um bom emprego, uma boa casa, uma saúde de ferro, um bom carro? O significado bíblico de bênção é estar em comunhão com Deus. Abençoar não é apenas dizer: "Te abençôo em nome de Jesus"- é socorrer os irmãos nas suas dificuldades. (I Jo 3:18; Tg 2:15,16). O Significado de Maldição Dentro do ensino das maldições hereditárias, seria palavras negativas que pronunciamos contra alguém. Seria também - espíritos - que acompanham nossas famílias e objetos de nossos antepassados que temos em casa trazendo todo tipo de desgraça. Biblicamente, poderíamos dizer que a origem de toda a maldição reside no pecado. Maldição é uma sentença que vem da desobediência a Deus (Gn 3:19; Rm 5:12). Maldição é estar longe de Deus, separado do Criador (Êx. 34:1; Dt 27 e 28; Is 28:7-13; 29:1-10; Jr 7:1-15; Ml 1:8-14). Perguntas originadas pela Doutrina Preciso desenhar uma árvore genealógica da família para resolver os problemas da minha vida? Tenho que saber de que maneira determinados assuntos eram ventilados em minha família (violência, adultério, alcoolismo, prostituição, etc.) Qual seria a relação entre meus problemas e os pecados dos meus antepassados? Como posso quebrar uma maldição lançada sobre minha família? E a oração de confissão pelos pecados dos antepassados? É possível uma pessoa colocar uma maldição sobre outra? Conclusão: Este é um ensino que escraviza. Cristãos que antes estavam vivendo uma vida de alegria e dando frutos na obra do Senhor estão agora vivendo em escravidão, pois passaram a pensar que as dificuldades que enfrentam na área emocional, nas tentações ligadas ao sexo, alcoolismo, dinheiro, depressão, doenças ou qualquer outra situação adversa, são resultado dos pecados dos antepassados que hoje, estão afetando sua vida. Ora, estes problemas, enfrentados pelo cristão, têm a ver com o fruto do Espírito e santificação e não com os pecados dos antepassados. O que se atribui a espíritos de alcoolismo, prostituição, homossexualismo, etc., na verdade, segundo a Bíblia, são apenas obras da carne (Gl 5:19-21). É possível vencê-los pôr meio da vida no Espírito (Gl 5:16; I Co 6:9-11). Cristo se fez maldição pôr nós e os efeitos espirituais da rebelião e ódio contra Deus foram totalmente quebrados (Jo 8:32,36; Rm 8:33-39; I Jo 2:1,2; 3:8), e o sangue de Jesus é suficiente para libertação total. Não temos que quebrar mais nenhuma maldição. (Hb 7:25; I Jo 1:7,9; Ap 1:5). Notas 1. Robson Rodovalho. Quebrando as Maldições Hereditárias . Goiânia: Koinonia Comunidade e Edições Ltda , 3 edição , p. 10 2. Idem, p. 10 3. Souza, Autilino Batista de. Tomemos Posse. São Paulo "ABS" Edições Evangélicas, 1992, p. 33 4. Linhares, Jorge. Bênção e Maldição. Venda Nova : Editora Betânia, 1992, 2 edição , p. 8 5. Hickey, Marilyn. Quebre a cadeia de Maldição Hereditária. Rio de Janeiro - ADHONEP, 1988, contracapa. 6. Linhares, Jorge. Op cit, p. 20 7. Gondim, Ricardo, O Evangelho da Nova Era. São Paulo : Abba Press, 1993, p. 113. 8. Idem, p. 113. 9. Linhares, Jorge. Op. cit., p.16 10. Rodovalho, Robson. Op. cit., 28, 29. 11. Hickey, Marilyn Op. cit., p. 51. 12. Gondim, Ricardo. op. cit., p. 111. Autor: Pr Joaquim de Andrade e-mail: joaquimherege@uol.com.br

terça-feira, 18 de outubro de 2011

CASAMENTO COMO MANTER

Como manter um casamento Quando Deus oficiou o casamento de nossos primeiros pais, Adão e Eva, estabeleceu um plano para todos os casais. Gênesis 2:24 conta: “... deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” A união do casamento seria a mais íntima de todas as relações humanas. Por ela, marido e mulher se tornam uma só carne. “Porque ninguém”, argumenta Paulo, “jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida”. E , escreveu mais: “Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama” (Efésios 5:28 e 29). O casamento é uma união de amor. Foi instituído para satisfazer o profundo anelo implantado na alma pelo Deus de amor – o desejo de dar e receber amor. O amor é oposto ao egoísmo. O egoísmo pensa em si mesmo, busca os seus próprios interesses, busca só receber. Infelizmente muitos casam por motivos egoístas: querem só a sua vontade e o seu prazer satisfeitos. Por isso, casamentos desse tipo nunca são felizes e acabam rapidamente. O amor conjugal deve ser nutrido, fortalecido. Ele deve crescer sempre. A sua chama deve se tornar cada vez mais viva. E isto não vem por acaso. Requer planejamento, requer esforço – incessante esforço através da vida íntima. Alguém disse acertadamente que a vida conjugal é uma escola na qual nunca nos graduamos. No programa de hoje quero apresentar algumas dicas para manter o casamento. A primeira delas é o reconhecimento de cada um dos cônjuges no lar. No plano de Deus o marido é o chefe da família. Deve ser honrado como tal pela esposa e pelos filhos. Mas a esposa é a rainha do lar. E deve estar ao lado do marido na direção do lar. Uma segunda dica para manter o casamento é a fidelidade mútua. O casamento é uma união sagrada e requer estrita fidelidade do marido à mulher, e da esposa ao marido. A ordem é clara: “Não adulterarás” (Êxodo 20:14). Essa total dedicação de um ao outro gera confiança e nutre o amor. Inversamente, a infidelidade, seja do homem, seja da mulher, suscita ciúme, ressentimento. Já a terceira dica é o esforço de adaptação mútua. Passados os primeiros dias após o casamento, e iniciada a vida real, começam a aparecer as fraquezas de ambos. O marido vê na mulher pontos negativos com que talvez não sonhasse; e a esposa também vê no marido defeitos que não imaginava... Aí é preciso compreensão, apoio e a busca para valorizar as qualidades, ajudando na superação dos pontos negativos. A quarta dica para manter o casamento é a expressão do amor. Na vida conjugal o amor deve ser expresso por palavras – palavras de apreço pelos esforços do marido, da mulher; palavras em que o amor mútuo é assegurado. Alguns pensam que o companheiro da vida sabe que é amado e não é preciso dizer para o outro. Outros julgam que a expressão de amor é uma demonstração de fraqueza. O amor deve ser expresso por atos, aliviando cada qual o dardo do outro. As primeiras atenções, dispensadas com tão grande satisfação na fase do namoro e noivado, deveriam continuar após o casamento. Se a noiva ou namorada merecia atenção, muito mais digna disso é a esposa. Um presente de vez em quando é uma demonstração de amor correspondido pelo outro lado com um afeto mais profundo. Nisso não é necessário gastar o salário do mês. Até uma bonita flor, se dada com sinceridade, produz o seu efeito. Alguém disse que o amor da esposa floresce como uma flor. E o tempo de fazer isso é enquanto ela vive. De nada valerá, depois da morte, encher o seu caixão de flores e amontoar coroas sobre o seu túmulo. Uma quinta dica para manter o casamento é dar a Deus um lugar na vida do casal. O verdadeiro triângulo amoroso é formado pelo marido, pela esposa e por Deus. Quanto melhor o nosso relacionamento com Deus, tanto melhor será o nosso relacionamento com o companheiro da vida. Deus deve ser o centro da nossa vida, o Objeto de nosso supremo amor. A vontade dEle deve vir em primeiro lugar e deve ser feita com alegria. Então, da divina fonte de toda boa dádiva, receberão, marido e mulher, aquele amor desinteressado e puro, que une, que enobrece, que faz feliz e bela a vida conjugal. No capítulo intitulado “O Segredo de Um Matrimônio Feliz”, do livro “A Ciência do Bom Viver”, lemos: “Só em Cristo é que se pode com segurança entrar para a aliança matrimonial. O amor humano deve fazer derivar do amor divino os seus laços mais íntimos. Só onde Cristo reina é que pode haver afeição profunda, verdadeira e altruísta.” Amigo ouvinte, Deus instituiu o casamento para que fosse uma bênção. Aqueles que preenchem essas condições possuirão o precioso bem de uma união conjugal venturosa. Se estou falando neste momento a um casal que não é feliz, gostaria de dizer, terminando: embora possam surgir dificuldades, perplexidades, nem o marido nem a mulher devem abrigar o pensamento de que sua união é um erro ou uma decepção. Que cada um resolva ser para o outro tudo que é possível. Continuem, relembrem as primeiras atenções e gestos de carinho. Que um anime o outro nas lutas da vida. Procure cada um promover a felicidade do outro. Haja amor mútuo e muita paciência. Então, o casamento, em vez de ser o fim do amor, será como que seu começo. O calor da verdadeira amizade, o amor que liga coração a coração, é uma amostra das alegria

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Bem-aventuranças - O Caráter dos Cidadãos do Céu

Jesus abriu este importante sermão com uma série de oito declarações, pungentes e paradoxais, tradicionalmente conhecidas como as "bem-aventuranças" (Mateus 5:2-12). Elas devem ter caído como raios sobre aqueles ouvidos judeus do primeiro século. Uma fórmula para sucesso mais improvável poderia dificilmente ter sido imaginada. Elas assaltavam cada conceito da sabedoria convencional e deixavam o ouvinte chocado e perplexo. Deste modo, Jesus captura a atenção de sua audiência e insiste no caráter essencial do reino de Deus e seus cidadãos.

O mundo todo, então como agora, estava em busca, diligentemente, da felicidade e tinha tampouco uma concepção de como obtê-la, como os homens de hoje. Não houve surpresa no anúncio de que havia verdadeira bem-aventurança no reino. O choque veio com o tipo de povo que estava destinado a obtê-la.

As bem-aventuranças falam exclusivamente de qualidades espirituais. As preocupações históricas do homem, riqueza material, condição social e sabedoria secular, não recebem simplesmente pouca atenção, elas não recebem nenhuma. Jesus está claramente esboçando um reino que não é deste mundo (João 18:36), um reino cujas fronteiras não passam através de terras e cidades, mas através dos corações humanos (Lucas 17:20-24). Este reino totalmente improvável chegou, conforme anunciado, no primeiro século (Marcos 9:1; Colossenses 1:13; Apocalipse 1:9), porém muitos estavam despreparados para reconhecê-lo e aceitá-lo, assim como estão hoje.

Deve ser notado, ainda mais, que as qualidades do cidadão do reino não somente eram espirituais, mas são virtudes que o homem não receberia naturalmente. Elas não são o produto da hereditariedade ou do ambiente, mas da escolha. Ninguém, jamais, "cai" displicentemente nestas categorias. Elas não acontecem no homem naturalmente, e são de fato distintamente contrárias à "segunda natureza" que o orgulho e a ambição têm feito prevalecer nos corações de toda a humanidade.

Talvez não haja verdade mais importante a ser reconhecida sobre as bem-aventuranças do que o fato que elas não são provérbios independentes, que se aplicam a oito diferentes grupos de homens, mas são uma descrição composta de cada cidadão do reino de Deus. Estas qualidades são tão entrelaçadas num tecido espiritual que são inseparáveis. Possuir uma é possuir todas e não ter uma é não ter nenhuma. E como todos os cristãos têm que possuir todas estas qualidades de vida no reino, eles estão também destinados a receber todas as suas bênçãos; bênçãos que, como suas qualidades, são apenas componentes de um prêmio; um corpo chamado em uma só esperança (Efésios 4:4).

www.MidiaGospel.Com.br - Portal gospel com notícias,música,videos,chat,bate-papo evangélico, pregações e muito mais acesse: www.midiagospel.com.br / www.estudosgospel.com.br / www.centraldepregadores.com.br
.
Em suma, então, as bem-aventuranças não contêm uma promessa de bênção sobre os homens em seu estado natural (todos os homens choram, mas certamente nem todos serão consolados, 5:4) nem de fato oferecem esperança àqueles que parecem cair numa categoria ou noutra. Elas são um quadro composto do que cada cidadão do reino, não somente uns poucos super-discípulos, têm que ser. Elas marcam a diferença radical entre o reino do céu e o mundo dos outros homens. O filho do reino é diferente naquilo que ele admira e valoriza, diferente naquilo que ele pensa e sente, diferente naquilo que ele procura e faz. É claro que, antes, jamais houve um reino como este.

Um reino para os pecadores e os humildes
Tem havido muitas abordagens do conteúdo específico das bem-aventuranças. Muitos sentem que há uma progressão de pensamento evoluindo através delas, que começa com uma nova atitude para consigo mesmo e para com Deus, passa a uma nova atitude para com os outros, e culmina com a reação do mundo a esta mudança radical. Há certo mérito nesta análise e, se tal esquema nítido coincide ou não com a ordem real das bem-aventuranças, as idéias certamente estão ali. Para uma sociedade governada por algumas concepções errôneas sérias do reino de Deus, as bem-aventuranças fazem duas afirmações básicas. Primeiro, que o reino não está aberto aos que se julgam virtuosos e aos presunçosos, mas ao pecador suplicante e vazio que chega procurando por ele. Segundo, que o reino não é para o "poderoso" que obtem o que deseja pela riqueza ou pela violência, mas para uma companhia de homens pacientes, que abrem mão, não somente de suas vontades, mas até dos seus "direitos", em prol das necessidades dos outros.

Ainda que não explicitamente declarado (Jesus não haveria de falar claramente de sua morte até um ano mais tarde, Mateus 16:21), não há nada mais óbvio no seu sermão do que a verdade central do evangelho que a salvação é pela graça de Deus. Aqui o pré-milenarista está palpavelmente errado. Como poderiam homens e mulheres tão famintos de justiça (5:6) e tão necessitados de misericórdia (5:7) encontrar lugar num reino governado por um sistema só de lei? E quem poderia imaginar que cidadãos do reino terrestre imaginado pelos pré-milenaristas haveriam de sofrer perseguição (5:10-12)? A justiça do reino não repousa num sistema de lei, mas sobre um sistema de graça. Seus santos padrões são atingíveis pelos homens pecadores (5:48). De outra maneira, o Sermão da Montanha haveria de ser fonte de maior desespero do que a lei de Moisés (Romanos 7:25).

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Avivamento

Provas Irrefutáveis do Avivamento!
Ramon Tessmann



Sinto que um avivamento sem precedentes está vindo sobre o Brasil. Cada vez mais as provas são reais e irrefutáveis. Escrevo hoje no dia 25 de agosto de 2007.

Em primeiro lugar, esclareço que não sou alguém que fala de avivamento sem fundamento bíblico e sem estudar a história. Já passei e/ou vi quase de tudo na minha caminhada cristã. Pessoas já me julgaram (aparentemente 27 anos é pouca idade para falar da Bíblia), pastores me contradisseram no púlpito (por não concordarem com o avivamento), etc. Teve até um que chamou os adoradores de “idiotas” quando repetem muitas vezes uma canção, se referindo aos cânticos espontâneos. Que isso pastor! E olha que é um “grande” conferencista e teólogo da atualidade. Mesmo que ele tivesse razão não poderia chamar ninguém de “idiota”. Errou 2 vezes. Mas deixemos as picuinhas de lado.

Se escrevo este texto é porque tenho estudado alguns bons livros sobre o termo “avivamento” à luz da Bíblia e um pouco da história da Igreja. Afinal, se queres entender o hoje e o amanhã, deves estudar o passado. É isso que estou fazendo. Além disso, tenho compartilhado com muitas pessoas de Deus, pastores, líderes, e parece que as peças desse grande “quebra-cabeça” chamado avivamento estão se encaixando. E há provas reais nos dias de hoje!

Antes de tudo, deixe-me dar minha definição do que é avivamento baseado em tudo o que li e estudei. O termo avivamento não existe na Bíblia, mas vem de uma outra palavra utilizada nas Escrituras que é “reviver”. Avivamento é um tempo extraordinário e peculiar em que a Igreja renasce, volta à vida, volta aos princípios bíblicos, depois de um grande período de trevas, lutas, pecado, etc. É um tempo marcado por acontecimentos sobrenaturais como arrependimento e conversões em massa, curas e milagres, derramamento dos dons espirituais, cultos de adoração intensa e por aí vai. Haveria muito que se falar sobre a definição de avivamento, mas não vamos nos estender.

Me empolgo quando falo do avivamento que Deus tem para o Brasil, mas isso não me faz sair das bases bíblicas, muito pelo contrário. Então o que escrevo não é pautado em emoções mas em longos estudos e em profundas conversas com muitos irmãos em Cristo.

Creio que o avivamento está vindo sobre o Brasil porque:

- Há um grande mover de unidade na igreja. Por onde ando vejo as igrejas se humilhando umas às outras, vejo pastores dizendo entre si: “Eu preciso de ti”, vejo ministérios de louvor ministrando juntos, vejo grandes projetos sendo executados por cristãos de diferentes denominações. Para mim muitas dessas “uniões” são verdadeiros milagres;

- Vejo um grande mover de arrependimento. Ao mesmo tempo em que vejo a exposição dos falsos cristãos (joio), vejo que o trigo se volta cada vez mais para Deus. É por isso que as igrejas diminuíram em número em 2005/2006. Muitas pessoas foram removidas da igreja porque não abandonaram o pecado.

- Vejo um grande mover de conversões de almas. Há anos venho ouvindo de profecias dizendo que “os estádios lotarão”, cultos serão realizados em estádios. Isso é realidade hoje em dia. As pessoas estão vindo para Jesus sem muito esforço, aceitam facilmente a Palavra de Deus.

- Os cultos são marcados por milagres, curas, derramamento de poder de Deus, sinais, etc.

- Vejo Deus restaurando igrejas semi-destruídas, re-erguendo pastores esgotados, dando novo ânimo a ministérios abalados, etc.

- Vejo a igreja se tornando mais adoradora do que pedinte. Sempre defendi que quando a Igreja entender que tem que buscar mais a Deus, do que suas bênçãos, ela irá provar da intimidade com Deus. Isso está se tornando realidade. Vejo os jovens vindo a igreja mais para adorar do que para pedir bênção...

Em breve postarei mais provas do avivamento. Agora estou indo ao culto buscar a Deus! Se Ele me abençoar serei grato, senão continuarei adorando :-)

Abração,
Ramon Tessmann
www.vidanovamusic.com/ramon

Um abração em Cristo Jesus
Ramon Tessmann
http://www.vidanovamusic.com/ramon
ramon@vidanovamusic.com

segunda-feira, 21 de março de 2011

COMO MORRERAM OS APÓSTOLOS

Como Morreram os Apóstolos de Jesus Cristo

ANDRÉ
Foi discípulo de João Batista, de quem ouviu a seguinte afirmação sobre Jesus: “Eis aqui o Cordeiro de Deus”.
André comunicou as boas notícias ao seu irmão Simão Pedro: “Achamos o Messias” (João 1.35-42; Mateus 10.2).
O lugar do seu martírio foi em Acaia (província romana que, com a Macedônia, formava a Grécia). Diz a tradição que ele foi amarrado a uma cruz em forma de xis (não foi pregado) para que seu sofrimento se prolongasse.

BARTOLOMEU
Tem sido identificado com Natanael. Natural de Caná de Galiléia. Recebeu de Jesus uma palavra edificante: “Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo” (Mateus 10.3; João 1.45-47) Exerceu seu ministério na Anatólia, Etiópia, Armênia, Índia e Mesopotâmia, pregando e ensinando. Foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo. Outros dizem que teria sido golpeado até a morte.

FILIPE
Natural de Betsaida, cidade de André e Pedro. Um dos primeiros a ser chamado por Jesus, a quem trouxe seu amigo Natanael (João 1.43-46). Diz-se que pregou na Frigia e morreu como mártir em Hierápolis.

JOÃO
O apóstolo que recebeu de Jesus a missão de cuidar de Maria. “O discípulo que Jesus amava” (João 13.23). Pescador, filho de Zebedeu (Mateus 4.21) o único que permaneceu perto da cruz (João 19.26-27). O primeiro a crer na ressurreição de Cristo (João 20.1-10). A tradição relata que João residiu na região de Éfeso, onde fundou várias igrejas. Na ilha de Patmos, no mar Egeu, para onde foi desterrado, teve as visões referidas no Apocalipse (Apocalipse 1.9). Após sua libertação teria retornado a Éfeso. Teve morte natural com idade de 100 anos.

JUDAS TADEU
Foi quem, na última ceia, perguntou a Jesus: "Senhor, por que te manifestarás a nós e não ao mundo?" (João 14:22-23). Nada se sabe da vida de Judas Tadeu depois da ascensão de Jesus. Diz a tradição que pregou o Evangelho na Mesopotâmia, Edessa, Arábia, Síria e também na Pérsia, onde foi martirizado juntamente com Simão, o Zelote.

JUDAS ISCARIOTES
Filho de Simão, traiu a Jesus por trinta peças de prata, enforcando-se em seguida.(Mateus 26:14-16; 27:3-5).

MATEUS
Filho de Alfeu, e também chamado de Levi. Cobrador de impostos nos domínios de Herodes Antipas, em Cafarnaum (Marcos 2.14; Mateus 9.9-13; 10.3; Atos 1.13). Percorreu a Judéia, Etiópia e Pérsia, pregando e ensinando. Há várias versões sobre a sua morte. Teria morrido como mártir na Etiópia.

MATIAS
Escolhido para substituir Judas Iscariotes (Atos 1.15-26). Diz-se que exerceu seu ministério na Judéia e Macedônia. Teria sido martirizado na Etiópia.

PAULO
Israelita da tribo de Benjamim (Filipenses 3.5). Natural de Tarso, na Cilícia (hoje Turquia). Nome romano de Saulo, o Apóstolo dos Gentios. De perseguidor de cristãos, passou a pregador do evangelho e perseguido. Realizou três grandes viagens missionárias e fundou várias igrejas. Segundo a tradição, decapitado em Roma, nos tempos de Nero, no ano 67 ou 70 (Atos 8.3; 13.9; 23.6; 13-20).

PEDRO
Pescador, natural de Betsaida. Confessou que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16). Foi testemunha da Transfiguração (Mateus 17.1-4).
Seu primeiro sermão foi no dia de Pentecostes. Segunda a tradição, sua crucifixão verificou-se entre os anos 64 e 67, em Roma, por ordem de Nero.
Pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por achar-se indigno de morrer na mesma posição de Cristo.

SIMÃO, o Zelote
Dos seus atos como apóstolo nada se sabe. Está incluído na lista dos doze, em Mateus 10.4, Marcos 3.18, Lucas 6.15 e Atos 1.13. Julga-se que morreu crucificado.

TIAGO, O MAIOR
Filho de Zebedeu, irmão do também apóstolo João. Natural de Betsaida da Galiléia, Paulo Mori – Bacharel Teologia - Licenciado Filosofia, Pedagogia – Pós Graduado Docência do Ensino Superior – Técnico Eletronico pescador (Mateus 4.21; 10.2). Por ordem de Herodes Agripa, foi preso e decapitado em Jerusalém, entre os anos 42 e 44.

TIAGO, O MENOR
Filho de Alfeu (Mateus 10.3). Missionário na Palestina e no Egito. Segundo a tradição, martirizado provavelmente no ano 62.

TOMÉ
Só acreditou na ressurreição de Jesus depois que viu as marcas da crucificaçã o (João 20.25). Segundo a tradição, sua obra de evangelização se estendeu à Pérsia (Pártia) e Índia. Consta que seu martírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 da era cristã.

Autor: Pastor Edison Pugaciov
www.centraldepregadores.com.br/edison-pugacio

segunda-feira, 14 de março de 2011

COMUNHÃO O DNA DA IGREJA

Atos 2.41-47
Através do livro de Atos, bem como outros trechos do NT, tomamos conhecimento das normas ou padrões estabelecidos para uma igreja neo-testamentária, o principal padrão do corpo de Cristo chama-se comunhão, que pode ser alcançada através da perseverança de quatro pontos importantes encontrados no verso 42 de Atos 2.
I – DOUTRINA DOS APÓSTOLOS
QUAL É O CENTRO DA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS?
JESUS É O CENTRO DA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS. UMA IGREJA PARA VIVER A PLENA COMUNHÃO DO ESPÍRITO SANTO PRECISA SER CRISTOCÊNTRICA.
Jo 14.6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
Jo 15.5 Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
1Co 3.11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.
Fp 2.9 Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;
Fp 2.10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra.
DE MODO NENHUM CONSEGUIREMOS ENTENDER O VERDADEIRO VALOR COMUNHÃO SE NÃO COMPREENDERMOS ESTA VERDADE FUNDAMENTAL DOUTRINÁRIA: JESUS CRISTO, FUNDAMENTO PRINCIPAL DA IGREJA.
ATRAVÉS DE CRISTO A COMUNHÃO FLUIRÁ NO SEIO DA IGREJA DE FORMA NATURAL.
II – COMUNHÃO
“KOINONIA” – LITERALMENTE SIGNIFICA “TER EM COMUM” E ENVOLVE COMPARTILHAR E PARTICIPAR.
At 2.44 Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum.
COMPARTILHAR – FÉ, AMOR, GRAÇA.
1Co 3.21 Portanto ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso;
1Co 3.22 seja Paulo, ou Apolo, ou Cefas; seja o mundo, ou a vida, ou a morte; sejam as coisas presentes, ou as vindouras, tudo é vosso,
1Co 3.23 e vós de Cristo, e Cristo de Deus.
2Co 4.15 Pois tudo é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.
PARTICIPAR – BÊNÇÃOS, NECESSIDADES.
At 2.45 E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um.
Rm 12.10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros;
Rm 12.13 acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade;
III – PARTIR DO PÃOO “PARTIR O PÃO” É UM TERMO MUITO PROFUNDO, PORQUE ENVOLVE RELACIONAMENTO PRÓXIMO, OU SEJA, LITERALMENTE ESTARMOS
JUNTOS. O QUE CRISTO NOS ENSINA É VIDA DE TRANSPARÊNCIA E MUITO MAIS ALÉM DO QUE ISSO NOS ENSINA A PERFEIÇÃO DA UNIDADE CRISTÃ. TODOS NÓS SOMOS “UM SÓ CORPO, CUJA CABEÇA É CRISTO”.
At 2.46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração.
ESTE VERSÍCULO MOSTRA A UNANIMIDADE NO SEIO DA IGREJA, TODOS ESTAVAM JUNTOS. A UNIDADE ESPIRITUAL NO CORPO, OU SEJA, NA IGREJA, GERA AVIVAMENTO.
VAMOS VISUALIZAR A CENA DA CEIA MINISTRADA PELO SENHOR JESUS:
Mc 14.22 Enquanto comiam, Jesus tomou pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, dizendo: Tomai; isto é o meu corpo.
APRENDEMOS AQUI QUE O “PARTIR DO PÃO” GERA BÊNÇÃO PARA A VIDA DA IGREJA. ENQUANTO OS DISCIPULOS ESTAVAM JUNTOS O SENHOR JESUS ABENÇOA E PARTI O PÃO (SIMBOLO DE SEU SACRIFICIO). ESTE ATO GERA CRESCIMENTO ESPIRITUAL PARA OS CRENTES EM CRISTO.
TODAS AS VEZES QUE PARTIMOS O PÃO COM NOSSO IRMÃO, GERAMOS EM NOSSA VIDA ALGO QUE PODEMOS CHAMAR DE MUTUALIDADE ESPIRITUAL.
QUEM SABE NÃO SEREMOS CURADOS NESTA NOITE ATRAVÉS DO “PARTIR DO PÃO”?
IV – ORAÇÕES
POR FIM, COMUNHÃO NÃO É VERDADEIRAMENTE EFETIVADA SE A IGREJA NÃO ENTENDER O VALOR DA ORAÇÃO EM SUA VIDA ESPIRITUAL.
VÁRIOS TEXTOS DA BÍBLIA SAGRADA MOSTRAM QUE AS ORAÇÕES FEITAS EM COMUNHÃO TRAZEM UM IMPRESSIONANTE RESULTADO. E EM NOME DE JESUS NESTA NOITE EXPERIMENTAREMOS ESTE RESULTADO, POIS VAMOS COLOCAR EM PRÁTICA ESTA VERDADE.
At 12.5 Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele.
ATRAVÉS DA ORAÇÃO EM COMUNHÃO DA IGREJA, PEDRO É LIBERTADO DA PRISÃO. NOSSAS ORAÇÕES PODEM LIBERTAR PRISÕES ESTA NOITE!!!
Tg 5.13 Está aflito alguém entre vós? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.
Tg 5.14 Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor;
Tg 5.15 e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
Tg 5.16 Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua atuação.
“ORAI UNS PELOS OUTROS, PARA SERDES CURARDOS.”
ATRAVÉS DA ORAÇÃO EM COMUNHÃO DA IGREJA, OCORREM CURAS, PERDÃO DE CULPAS E SALVAÇÃO. O ESPÍRITO SANTO QUER ATUAR DE FORMA SOBRENATURAL EM NOSSO MEIO ESTA NOITE!!!
CONCLUSÃO
A UNIDADE DO CORPO DE CRISTO, QUE É A IGREJA, GERA COMUNHÃO, E A COMUNHÃO POR SUA VEZ PRODUZ CRESCIMENTO DA IGREJA.
At 2.47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.
O MAIOR RESULTADO DA COMUNHÃO É O AVIVAMENTO DO CORPO DE CRISTO, O SEU DNA TRANSMITIDO PARA TODOS QUE PARTICIPAM!

Comunhão: o DNA da IgrejaAtos 2.41-47Rodrigo do Nascimento Hólica
Através do livro de Atos, bem como outros trechos do NT, tomamos conhecimento das normas ou padrões estabelecidos para uma igreja neo-testamentária, o principal padrão do corpo de Cristo chama-se comunhão, que pode ser alcançada através da perseverança de quatro pontos importantes encontrados no verso 42 de Atos 2.
I – DOUTRINA DOS APÓSTOLOS
QUAL É O CENTRO DA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS?JESUS É O CENTRO DA DOUTRINA DOS APÓSTOLOS. UMA IGREJA PARA VIVER A PLENA COMUNHÃO DO ESPÍRITO SANTO PRECISA SER CRISTOCÊNTRICA.Jo 14.6 Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.Jo 15.5 Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.1Co 3.11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.Fp 2.9 Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;Fp 2.10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra.DE MODO NENHUM CONSEGUIREMOS ENTENDER O VERDADEIRO VALOR COMUNHÃO SE NÃO COMPREENDERMOS ESTA VERDADE FUNDAMENTAL DOUTRINÁRIA: JESUS CRISTO, FUNDAMENTO PRINCIPAL DA IGREJA.ATRAVÉS DE CRISTO A COMUNHÃO FLUIRÁ NO SEIO DA IGREJA DE FORMA NATURAL.
II – COMUNHÃO
“KOINONIA” – LITERALMENTE SIGNIFICA “TER EM COMUM” E ENVOLVE COMPARTILHAR E PARTICIPAR.At 2.44 Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum.COMPARTILHAR – FÉ, AMOR, GRAÇA.1Co 3.21 Portanto ninguém se glorie nos homens; porque tudo é vosso;1Co 3.22 seja Paulo, ou Apolo, ou Cefas; seja o mundo, ou a vida, ou a morte; sejam as coisas presentes, ou as vindouras, tudo é vosso,1Co 3.23 e vós de Cristo, e Cristo de Deus.2Co 4.15 Pois tudo é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus.PARTICIPAR – BÊNÇÃOS, NECESSIDADES.At 2.45 E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, segundo a necessidade de cada um.Rm 12.10 Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros;Rm 12.13 acudi aos santos nas suas necessidades, exercei a hospitalidade;
III – PARTIR DO PÃOO “PARTIR O PÃO” É UM TERMO MUITO PROFUNDO, PORQUE ENVOLVE RELACIONAMENTO PRÓXIMO, OU SEJA, LITERALMENTE ESTARMOS JUNTOS. O QUE CRISTO NOS ENSINA É VIDA DE TRANSPARÊNCIA E MUITO MAIS ALÉM DO QUE ISSO NOS ENSINA A PERFEIÇÃO DA UNIDADE CRISTÃ. TODOS NÓS SOMOS “UM SÓ CORPO, CUJA CABEÇA É CRISTO”.At 2.46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração. ESTE VERSÍCULO MOSTRA A UNANIMIDADE NO SEIO DA IGREJA, TODOS ESTAVAM JUNTOS. A UNIDADE ESPIRITUAL NO CORPO, OU SEJA, NA IGREJA, GERA AVIVAMENTO.VAMOS VISUALIZAR A CENA DA CEIA MINISTRADA PELO SENHOR JESUS:Mc 14.22 Enquanto comiam, Jesus tomou pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, dizendo: Tomai; isto é o meu corpo.APRENDEMOS AQUI QUE O “PARTIR DO PÃO” GERA BÊNÇÃO PARA A VIDA DA IGREJA. ENQUANTO OS DISCIPULOS ESTAVAM JUNTOS O SENHOR JESUS ABENÇOA E PARTI O PÃO (SIMBOLO DE SEU SACRIFICIO). ESTE ATO GERA CRESCIMENTO ESPIRITUAL PARA OS CRENTES EM CRISTO.TODAS AS VEZES QUE PARTIMOS O PÃO COM NOSSO IRMÃO, GERAMOS EM NOSSA VIDA ALGO QUE PODEMOS CHAMAR DE MUTUALIDADE ESPIRITUAL.QUEM SABE NÃO SEREMOS CURADOS NESTA NOITE ATRAVÉS DO “PARTIR DO PÃO”?
IV – ORAÇÕES
POR FIM, COMUNHÃO NÃO É VERDADEIRAMENTE EFETIVADA SE A IGREJA NÃO ENTENDER O VALOR DA ORAÇÃO EM SUA VIDA ESPIRITUAL.VÁRIOS TEXTOS DA BÍBLIA SAGRADA MOSTRAM QUE AS ORAÇÕES FEITAS EM COMUNHÃO TRAZEM UM IMPRESSIONANTE RESULTADO. E EM NOME DE JESUS NESTA NOITE EXPERIMENTAREMOS ESTE RESULTADO, POIS VAMOS COLOCAR EM PRÁTICA ESTA VERDADE.At 12.5 Pedro, pois, estava guardado na prisão; mas a igreja orava com insistência a Deus por ele.ATRAVÉS DA ORAÇÃO EM COMUNHÃO DA IGREJA, PEDRO É LIBERTADO DA PRISÃO. NOSSAS ORAÇÕES PODEM LIBERTAR PRISÕES ESTA NOITE!!!Tg 5.13 Está aflito alguém entre vós? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.Tg 5.14 Está doente algum de vós? Chame os anciãos da igreja, e estes orem sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor;Tg 5.15 e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.Tg 5.16 Confessai, portanto, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados. A súplica de um justo pode muito na sua atuação.“ORAI UNS PELOS OUTROS, PARA SERDES CURARDOS.”ATRAVÉS DA ORAÇÃO EM COMUNHÃO DA IGREJA, OCORREM CURAS, PERDÃO DE CULPAS E SALVAÇÃO. O ESPÍRITO SANTO QUER ATUAR DE FORMA SOBRENATURAL EM NOSSO MEIO ESTA NOITE!!!
CONCLUSÃO
A UNIDADE DO CORPO DE CRISTO, QUE É A IGREJA, GERA COMUNHÃO, E A COMUNHÃO POR SUA VEZ PRODUZ CRESCIMENTO DA IGREJA.At 2.47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos.
O MAIOR RESULTADO DA COMUNHÃO É O AVIVAMENTO DO CORPO DE CRISTO, O SEU DNA TRANSMITIDO PARA TODOS QUE PARTICIPAM!